jusbrasil.com.br
19 de Junho de 2018

Atenção! Você pode estar praticando alienação parental!

Leonardo Petró de Oliveira, Advogado
há 2 anos

Ateno Voc pode estar praticando alienao parental

No último texto falei sobre o que quem está sendo impedido de ver o filho pode fazer (clique AQUI para acessar). Continuando com o tema de conflitos entre genitores, vamos entrar um pouco mais no assunto, falando mais especificamente do S. A. P. (Síndrome de Alienação Parental).

Para dar início, cabe conceituar a Alienação Parental:

Síndrome de Alienação Parental (SAP), também conhecida pela sigla em inglês PAS, é o termo proposto por Richard Gardner em 1985 para a situação em que a mãe ou o pai de uma criança a treina para romper os laços afetivos com o outro genitor, criando fortes sentimentos de ansiedade e temor em relação ao outro genitor.[1]

Devemos entender a síndrome como a programação de uma criança por um dos genitores, para que passe a enxergar o outro de maneira negativa, nutrindo sentimentos de ódio e rejeição por ele, e externando tais sentimentos.

As desavenças entre o casal, de forma sutil ou não, acabam refletindo na criança ou adolescente. O que não deveria ocorrer. A frase "Pai e Mãe é pra sempre" é precisa nesse caso. Deve o casal saber separar a relação amorosa da relação de afeto com o filho, priorizando o bem estar da criança.

A seguir vamos tratar de três pontos para podermos identificar a prática da Alienação, saber se a criança está sendo afetada e também modos de parar com essa prática.

O que o Alienante faz?

  • Exclui o outro genitor da vida dos filhos.
  • Interfere nas visitas
  • Denigre a imagem do outro genitor
  • Ataca a relação entre o filho e o outro genitor

Algumas frases certamente serão familiares, e até mesmo já pode ter acontecido com você:

"Seu pai não presta. O que você quer saber dele?"

"Viu o valor que ele dá a você?"

"Agora ele tem outra família, não vai se interessar mais em você"

"Aqui dentro de casa teu pai não entra mais."

"Teu pai vai te ver quando eu deixar!"

Familiar, não? A Alienação Parental está mais presente no nosso meio do que imaginamos.

Quais os sintomas da Alienação?

  • A criança se recusa a dar atenção ao outro Genitor, negando-lhe um simples carinho ou mesmo sair para passear;
  • Tem sentimentos como indiferença, ódio e raiva ao outro Genitor;
  • Baixa auto-estima.

O que fazer para parar?

Esse artigo possui como maior propósito levar informação e instigar as pessoas a compreenderem a gravidade da questão e consequentemente, buscar uma solução, assim:

  • Como responsável da criança ou adolescente, o recomendável é primeiramente se informar e identificar o problema.
  • Tente também manter um diálogo com seu filho, buscando entender seus anseios e desejos.
  • O proteja das discussões do casal.
  • Busque auxílio psicológico.
  • Busque auxílio jurídico.

A Alienação Parental é um assunto muito delicado e que merece inteira atenção por parte da sociedade. Seja em casa, com os pais tendo a consciência que o filho não pode ser usado como objeto em uma disputa do casal, seja no ambiente externo, com a presença de profissionais das mais variadas áreas buscando informar e conscientizar da importância de inibir tal prática.

Não se esqueça de se inscrever no nosso Blog para ficar por dentro de todas as novidades! Link aqui

Publicado em Leonardo Petró Advocacia - Blog.


Referências:

[1] Gardner R. Parental Alienation Syndrome vs. Parental Alienation: Which Diagnosis Should Evaluators Use in Child-Custody Disputes?. American Journal of Family Therapy. March 2002;30 (2):93-115.

17 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Dr. Pai também não pode ser detentor da guarda então vale para os dois lados. continuar lendo

Excelente texto...dos 30 dias no mês, passo apenas 4 com meus filhos (2 finais de semana)...e como eles vem com uma lavagem cerebral absurda contra mim, causada pelo ódio da mãe deles por mim...mas graças a Deus consigo reverter isso nesses 4 dias...
Mas até quando conseguirei?
É uma covardia...não sei o que fazer mais. continuar lendo

Querido Dario se você se sente injustiçado, sugestão pede a guarda, e assume a bronca vamos ver quem fica com as perguntas e como você dará as respostas? O pai que detêm a guarda sempre será o pai alienante. Vem cá... você não quer estas crianças, pois não é capaz de cuidar delas e menos ainda de educar. continuar lendo

Prezado Dario, obrigado pela contribuição.

Infelizmente esse é um caso típico, o qual o pai já "recebe" a criança nos dias de convivência tendo ela vários traumas nessa disputa entre pai e mãe.

O que recomendo, se há realmente incidência da alienação parental, é procurar antes de tudo conversar e reestabelecer o contato entre os genitores. Isso não sendo possível, o que resta é uma ação judicial. continuar lendo

Um conselho que eu daria para alguém que esteja sofrendo Alienação Parental e por esse motivo desanimou-se e afastou-se dos filhos:
Tente apertar os laços novamente. E, caso encontre resistências injustificadas do outro cônjuge, registre fatos, colha provas que demonstrem isso e entre com uma ação. Alerte seu advogado e você também preste atenção: Não fiquem de boca fechada perante o Juiz e o Promotor, pois eles podem entender isso como uma espécie de "confissão" de que você não tem interesse pelos filhos.
No mais, lutem pelo Direito/Dever de convívio com os filhos. O tempo que deixamos de conviver com eles, por qualquer motivo, faz muita falta para eles e para nós. continuar lendo

Exato Antonio. Essa briga entre os genitores só tendem a causar sérios problemas a criança. Mãe ou pai tem que entender que criança não é uma propriedade, e sim um ser de direitos e deveres, e dentre eles, está a convivência com ambos responsáveis.

Agradeço a contribuição. continuar lendo

Os pais devem entender que sempre haverá ex namorado (a) ex amigo, ex mulher mas em hipótese
alguma haverá ex filho. E ambos devem proporcionar
;Alegria, Amor e Felicidade aos seus filhos em nome de DEUS, continuar lendo